09/04/2020



Preço do combustível dispara e litro da gasolina pode chegar a custar R$ 5,14

Valor do etal subiu R$ 0,60 nos últimos 90 dias

Por João Paulo Ferreira - 12/fevereiro/2020 - 11:18 | 1 comentário
Economia


O preço do etanol disparou nos postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul e acumula alta de até 17,14% nos últimos 90 dias. O acréscimo atingiu R$ 0,60 nas bombas, engolindo o efeito da redução do ICMS ao consumidor final, que seria de R$ 0,16 com a redução de 25% para 20% na alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Além de não sentir o reflexo da redução no tributo, o consumidor ainda vai sentir no bolso o aumento de 20% no ICMS sobre a gasolina, que passa de 25% para 30% nesta quarta-feira (12). A expectativa é de que o impacto do aumento carga tributária anunciada em novembro pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) eleve o valor do litro do combustível entre R$ 0,22 a R$ 0,30 no Estado.

De acordo com a pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo), o custo médio da gasolina ao consumidor é de R$ 4,345 no Estado. Com o aumento do ICMS, o litro passará a custar de R$ 4,58 a R$ 4,64. O menor valor saltará dos atuais R$ 4,099 para R$ 4,33. O preço máximo deve pular de R$ 4,849 para até R$ 5,14.

A última previsão do Sinpetro (Sindicato dos Revendedores dos Derivados do Petróleo) é de que o impacto será acréscimo de R$ 0,24 no litro da gasolina e redução de R$ 0,16 no custo do etanol.

O problema é que o preço do etanol disparou nos últimos três meses, passando de R$ 3,397, em novembro do ano passado, para R$ 3,684 neste mês. Como o aumento foi de R$ 0,28 centavos, a queda de R$ 0,16 não fará recuar ao valor praticado antes do governador sancionar a redução do imposto.

A revolta com o aumento do ICMS por Reinaldo aumentou ainda mais após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desafiar os governadores a zerar o tributo para reduzir o preço dos combustíveis.

A reunião para discutir o assunto, ontem em Brasília, terminou sem qualquer sinalização de redução para o consumidor. O ministro da Economia, Paulo Guedes, considerou discutir a redução dos tributos sobre gasolina e óleo diesel na reforma tributária, que vai ficar a cargo do Congresso. Bolsonaro desistiu de encaminhar a própria proposta ao parlamento.

Com informações do O Jacaré

 



Um Comentário

  1. Lurdes disse:

    LEMBREM-SE DESSES NOMES

    E tem uns deputados que querem ser prefeito de Dourados

    Votaram a favor os deputados:

    Antônio Vaz (Republicanos),
    Barbosinha (DEM),
    Eduardo Rocha (MDB),
    Evander Vendramini (PP),
    Felipe Orro (PSDB),
    Jamilson Name (PDT),
    Lídio Lopes (Patri),
    Londres Machado (PSD),
    Lucas de Lima (SD),
    Marçal Filho (PSDB),
    Márcio Fernandes (MDB),
    Neno Razuk (PTB),
    Onevan de Matos (PSDB),
    Rinaldo Modesto (PSDB),
    Zé Teixeira (DEM) e
    Felipe Orro (PSDB).


Deixe um Comentário




Veja também