26/09/2020



Polícia prende frota de 23 aviões durante operação contra tráfico de drogas

Ao todo foram cumpridos 21 mandados de busca e apreensão

Por Redação - 06/agosto/2020 - 8:20 | 0 comentários
Interior


A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (6) a Operação Cavok e apreendeu uma frota de 23 aviões de pequeno porte que eram utilizados para o tráfico de drogas, de acordo com informações passadas pela instituição. Segundo a PF, o objetivo é desarticular economicamente uma organização criminosa dedicada ao tráfico internacional de drogas atuante na fronteira Brasil e Paraguai, na região de Ponta Porã.

Para cumprir os mandados da Justiça Federal de Ponta Porã foram necessários 110 policiais federais, além do apoio do Serviço Aéreo do Estado de Goiás (SAEG), da Polícia Militar de Goiá e da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (DECO) da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul. Ao todo foram cumpridos 21 mandados de busca e apreensão. Foram cumpridos também dois mandados de prisão preventiva, um em Goiânia e um em Ponta Porã, onde ainda foi efetuada uma prisão em flagrante por posse de arma.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal de Ponta Porã e englobam ainda o sequestro de 23 aeronaves de pequeno porte, as quais eram utilizadas pelo grupo para o transporte das drogas a partir dos países vizinhos, além de três imóveis rurais e um de apartamento de luxo, todos localizados em Goiás e se encontram avaliados em aproximadamente R$ 40 milhões.

Durante as investigações foi interceptada pela Polícia Nacional Paraguaia, em 24/11/2019, a 45 quilômetros da cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na região rural conhecida como Fortuna Guazú uma aeronave transportando cerca de 130kg de cocaína. Na oportunidade, o investigado que pilotava a aeronave utilizada no transporte da droga conseguiu se evadir da ação policial.

A investigação também contou com a colaboração do Centro Integrado de Operações de Fronteira de Foz do Iguaçu, no Paraná, da Receita Federal do Brasil, por meio do Núcleo de Pesquisa e Investigação de Campo Grande, e da ANAC, além da Polícia Nacional Paraguaia e do Ministério Público do Paraguai.


Deixe um Comentário




Veja também