07/08/2020



Polícia prende homem com armas, munição, madeira ilegal e até cabeças de tucano no interior de MS

Infrator morava em assentamento e confessou todos os crimes

Por João Paulo Ferreira - 10/fevereiro/2020 - 14:51 | 0 comentários
Interior


A Polícia Militar Ambiental prendeu no último sábado (8) um homem de 60 anos de idade em um assentamento a 40 quilômetros de Aquidauana. O idoso cometeu vários crimes ambientais.

Em fiscalização ambiental de rotina, os policiais chegaram na região do assentamento Indaiá III. Os Policiais Militares localizaram na área de reserva legal coletiva do assentamento (área protegida), duas áreas de desmatamento e exploração de madeira, além de girau de espera, ceva e armadilhas de captura de animais silvestres armadas na mata.

Os policiais seguiram a batida e vestígios do arraste na retirada da madeira e chegaram ao lote 36, na residência do autor dos crimes. No pátio do lote, nas proximidades da casa, foram encontradas toras de madeira da espécie angico, uma motosserra e madeira serrada retirada da área de reserva legal do assentamento, além de três armadilhas de caça de ferro, do tipo normalmente utilizado para captura de tatus.

O infrator confessou os crimes e em sua casa foram encontradas seis cabeças de aves silvestres da espécie tucano, que o assentado havia abatido, além de quatro rifles de caça calibre 22 e 126 munições do mesmo calibre, uma espingarda calibre 28 e dois cartuchos carregados do mesmo calibre e duas garrafas contendo chumbo para recarga artesanal de munições, tudo sem documentação. A madeira, motosserra, armadilhas, armas e munições foram apreendidos.

O infrator, residente no assentamento, recebeu voz de prisão e foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana, onde foi autuado em flagrante e responderá por crime ambiental de caça ilegal, com pena prevista de seis meses a ano de detenção, por exploração ilegal de madeira em área protegida, com pena prevista de um a três anos de detenção e por posse ilegal de arma de fogo, cuja pena é de um a três anos de detenção. Ele também foi autuado administrativamente e multado em R$ 28.000,00 pelas infrações. As multas ambientais serão julgadas pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul).


Deixe um Comentário




Veja também