21/01/2021



Tragédia anunciada: Agrônomo que foi morto por ex-cunhado ameaçava família há anos

Agressões e abusos são relatados por familiares e amigos da ex-esposa de Erick

Por Redação - 03/dezembro/2020 - 14:24 | 0 comentários
Capital


Foram dois anos de sucessivas ameaças à ex-esposa e à família dela até chegarmos neste triste final. O agrônomo e empresário Erick Inserra foi baleado e morreu em frente à casa da ex-sogra na rua Rachid Neder, em Campo Grande.

O Sul Mato Grossense entrou em contato com familiares do autor dos disparos, José Prado Lo Pinto, ou, como é chamado pelos íntimos, apenas ‘Zé’, e tentamos entender o motivo de tamanha tragédia.

Segundo os relatos, Erick se tornou um homem agressivo e que passava dos limites quando bebia enquanto era esposo da irmã de Zé, o que gerou a separação. Com características abusivas, sempre tentava diminuí-la pelo seu poder aquisitivo.  “Eu presenciei várias vezes ele sendo abusivo com ela. Diminuindo ela” conta a namorada de José.

A prima de José nos deu mais detalhes: “Tudo começou quando a irmã dele não queria mais ficar no casamento porque não estava mais feliz. Ele era agressivo com ela. Ela pediu a separação e o Erick não queria aceitar”, explica.

Após as separações, as coisas pioraram. Erick não aceitava e passou a ameaçar, além de sua ex-esposa, a família dela: O pai, a mãe, e o irmão, Zé. “Depois que as agressões pioraram ela conseguiu até uma medida protetiva, mas ele continuava ameaçando ela e a família”, explica. “Após o término, ele começou a mandar mensagem para a mãe, o pai… ameaçando a família… Para chegar a esse ponto é porque estava realmente impossível aguentar”, completa.

Conversamos também com amigos para saber mais da personalidade de José. “: O Zé sempre foi uma pessoa muito calma e sempre tentou apaziguar a situação. As ameaças devem ter chegado a um nível que ele não suportou mais. Eu ouvi vários relatos de ameaça de morte ao Zé, sua mãe e sua irmã” conta uma amiga íntima.

Outro amigo conta que a família não aguentava mais as ameaças e a medida protetiva não passava segurança. “Sei o quanto eles sofreram com as ameaças e chantagens do Erick. O Zé sempre foi um cara exemplar, trabalhador e estudioso” relata.

Mais uma amiga de infância de José endossa a versão. “Ter chegado nessa fatalidade é resultado de muitas ameaças. A situação chegou num ponto que ele não aguentou mais e explodiu.”

A namorada finaliza: “O Zé nunca quis fazer isso e está muito arrependido, porém na hora da raiva ele ficou cego e aconteceu essa tragédia. O Zé nunca fez mal pra ninguém, ao contrário, sempre colocou os outros a frente dele”.

José foi preso em flagrante. Após o crime, ele mesmo chamou a polícia e aguardou a chegada dos agentes.

ENTENDA O CASO:

Erick Inserra foi morto com ao menos 4 tiros disparados pelo seu ex-cunhado, José Prado Lo Pinto, na região da rua Rachid Neder, em Campo Grande, na última quarta-feira. Erick ameaçava a família do autor dos disparos há algum tempo e, ao ameaçar mais uma vez, José se descontrolou e efetuou os disparos.


Deixe um Comentário




Veja também