25/02/2020



Alunos criam solução para conter alagamentos no interior de MS e concorrem a prêmio nacional

Projeto utiliza três blocos de concreto feitos de restos de material de construção

Por João Paulo Ferreira - 14/fevereiro/2020 - 14:48 | 0 comentários
Cotidiano


Para minimizar os problemas dos alagamentos em residências da antiga área central de Aparecida do Taboado, os alunos da Escola do Sesi da cidade desenvolveram um projeto que utiliza três blocos de concreto em formato cilíndrico, que na Engenharia Civil são chamados de “corpos de prova”, para serem colocados nas ruas em que ocorrem as enchentes. O trabalho do grupo “Alphadroid’s” irá concorrer na fase regional do Torneio de Robótica FIRST Lego League (FLL), que será disputada em Vitória (ES), nesta sexta-feira (14/02) e sábado (15/02).

Formada pelos estudantes Anna Julia Farias Azambuja, Caio Henrique Pizzi, Diego Soares Ribeiro, Gabriel de Assis Carvalho, Isadora de Souza Martins, Murilo Silva Vieira, Pedro Henrique Barboni e Victória de Assis Abade dos Santos, a equipe desenvolveu o protótipo dos “corpos de prova”, que serão feitos de restos de materiais de construções, já pensando na parte da sustentabilidade. Esses blocos cilíndricos serão acoplados a um motor, formando um dispositivo eletrônico batizado de EV3, que será acionado em dias com um volume de chuva muito grande.

A ideia consolidou-se após os alunos visitarem a Unifunec (Centro Universitário de Santa Fé do Sul) e, ao apresentarem o problema aos professores do curso de Engenharia Civil, foram orientados que, para a solução total, necessitaria da implantação de galerias pluviais. “Seria inviável na nossa cidade, pois a execução de tal da obra ficaria orçada em torno dos R$ 30 milhões. Então procuramos uma solução que pudesse minimizar os danos dos alagamentos, fazendo isso por meio da utilização de três corpos de prova dispostos em formato da letra v, como forma de redirecionar o fluxo das águas para regiões onde se têm redes de drenagem”, explicou a aluna Anna Julia Azambuja.

A aluna Victória dos Santos contou que, juntamente com os outros integrantes da equipe, buscou uma solução que pudesse, pelo menos, minimizar esses alagamentos e a baixo custo. “Conhecemos os corpos de provas que foram feitos na Unifunec e soubemos que eram permeáveis. Então, nos interessamos, e esses corpos de prova, que adaptamos como Big Alphas, irão emergir do solo através de um sensor de vazão, que medirá o fluxo dessa água até os Big Alphas se levantarem”, detalhou.

A equipe Alphadroid’s conta com os professores e técnicos Luciana Barbosa Cavalcantee Washington Luiz de Oliveira Carvalho, que estão entusiasmados com o desempenho dos estudantes. “As crianças tiveram um excelente desempenho, realizaram pesquisas, assistiram palestras de profissionais da área da Engenharia Civil, visitaram a universidades, Secretaria Municipal de Obras de Aparecida do Taboado, demonstraram muito interesse em resolver o problema dos moradores da região da Pracinha Três Maria e em toda região de alagamentos da cidade. Esse projeto tem uma significância imensa no aprendizado, pois eles aprenderam conceitos de matemática, física, geografia entre outros”, avaliou a professora Luciana.


Deixe um Comentário




Veja também