02/12/2020



Polícia Militar Ambiental começa Operação Pré-Piracema nos rios do MS

360 policiais participarão da operação que busca coibir a pesca predatória

Por João Paulo Ferreira - 01/outubro/2019 - 16:07 | 0 comentários
Cotidiano


Foto: Polícia Militar Ambiental

A Polícia Militar Ambiental tem reforçado em todos os anos durante o mês de setembro e outubro a fiscalização nos rios do Mato Grosso do Sul, no intuito de prevenir e reprimir a pesca predatória, tendo em vista a proximidade do período de piracema e, portanto, quando vários cardumes já se encontram formados. Por esta razão, a quantidade de turistas e pescadores do Estado se intensifica, exatamente, em razão das facilidades de captura do pescado neste período.

O Comando da PMA intensificou durante todo o mês de setembro a fiscalização preventiva e repressiva aos crimes e infrações relativas à pesca, quando vários pescadores foram presos e autuados e intensifica mais ainda, a partir desta terça-feira (1), com o início da “Operação Pré-piracema”.

A “Operação Pré-piracema-2019”, que envolverá 360 policiais, englobará a operação “Padroeira do Brasil” e a operação “Dia de Finados”, que são realizadas todos os anos em outubro. A intervenção se estenderá até o dia 5 de novembro às 8h00, quando se inicia o período de fechamento da pesca na Bacia do Rio Paraguai.

Os trabalhos preventivos serão intensificados durante a “Operação Pré-piracema”, com participação das 26 Subunidades da PMA no Estado, que darão maior atenção à questão relativa à pesca. Os trabalhos administrativos serão reduzidos durante a operação, para o emprego do maior número possível de policiais, porque, além do combate e prevenção à pesca predatória, os trabalhos preventivos e repressivos ao tráfico de papagaio precisam continuar neste período reprodutivo da espécie (agosto a dezembro).

A prevenção e combate a outros crimes ambientais, tais como, ao transporte de produtos perigosos, desmatamento, exploração ilegal de madeira, incêndios, às carvoarias ilegais e ao transporte de carvão e de outros produtos florestais, caça, bem como demais crimes contra a flora não deixarão de ser efetuados.

Crimes de natureza diferente à ambiental, como tráfico de drogas, contrabando, descaminho, porte ilegal de armas, entre outros, serão coibidos nas barreiras da PMA, como tem sido realizado nos trabalhos rotineiros.


Deixe um Comentário




Veja também